O poder da escolha

Nas últimas semanas tive muitas conversas sobre carreira com colegas, orientandos e amigos. A carreira faz parte da nossa vida e fazemos escolhas todos os dias. Uma colega sempre fala: “Eu escolho todo dia estar aqui!” Concordo! A escolha não é só decidir sair, mas também de querer ficar dia após dia.

Já fiz muitas escolhas e digo: muitos erros e acertos! Posso resgatar da minha memória nesse exato momento. Alguns erros pela falta de maturidade e coragem em dialogar com quem deveria. Outros pela “profissional idealista” (nem sempre o que está nos livros vai se tornar realidade no seu dia dia, lamento!). Entretanto, agradeço por cada tropeço! Hoje teria evitado alguns porque ficar com a pergunta na cabeça “E se eu […]” é angustiante.

Uma das ações que recomendo para as pessoas é: faça terapia! Descubra o que te trava e trabalhe isso. Eu tenho várias barreiras que vêm de traumas da infância, alguns já superadas e outras a superar. A culpa é de quem? De ninguém! Quero acreditar que até quando alguém proporciona algum acontecimento negativo em nossa vida não é por “querer”. Entendo isso após 14 anos de prática no budismo de Nitiren: tudo depende de mim e através da minha conduta como ser humano posso contribuir para um mundo melhor!

Sonhadora!? Talvez!

Em uma das conversas soltei a seguinte frase: escolhas são difíceis porém necessárias para seguirmos a jornada chamada vida! Confesso que não sei se foi algo espontâneo ou está no meu subconsciente de algum livro que li. Agora sei explicar porque falei isso! Não coloque o PODER da sua escolha no colo do seu gestor, colega, parceiro, amigo, mãe e seja lá quem for. Isso não é somente para âmbito de carreira, ok? Assuma as consequências das suas escolhas e busque as respostas que precisa para tomar sua decisão. Não recomendo que se movimente sem antes tentar evoluir suas relações e perceber o valor das suas entregas. Acredito em legados e “morro de orgulho”  quando impacto positivamente a vida de alguém! Acredito que é por isso que vejo muito propósito na minha atuação como “recrutadora”.